segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Conexão.



Entre estrelas faiscantes esqueço do meu eu

E viajo no nada dos interstícios da alma humana.

No vácuo do universo encontro uma gota de esperança muda

Que timbre na batida do sentir.

Só saberei se a falha foi necessária quando no abismo eu cair

E encontrar a minha verdade, e ainda sim acreditar na minha verdade

Fazer eu ser a minha verdade, fazer ser a minha alma uma realidade.

Eu abortei o meu senso de moral e agora tenho um buraco no útero da minha consciência

Deixo vazio para uma nova fecundação neutra, pois no neutro esta a vida real

Comendo as bordas da sabedoria para um dia entender o tudo do ser completo

Ser o real é ser o irreal, saber o que se é, é tão in-substâncial quanto viver na realidade!


Diogo França...

Um comentário:

Patricia Antao disse...

Sem dúvida que estes textos sao uma conexão existencial de quem vive intensivamente nao so palavras mas tambem momentos!!

Gosto de ler o seu blog...