terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Voa cinzas, Queima Luz!


Linda mariposa, linda!
Espanta - se com a luz e louca, louca viagem!

Voando com suas asas rasgadas, e trapos e trapos
Ainda resistem a marcas do passado

Voam, voam rasgadas para a vida
Vida? Ainda ela vive?

A luz ainda não queimou suas asas macias?
Cinzas levadas ao pó em cinzas ela foi pintada
Pintada para não ser guardada

Guarda e guarda a alma
Em cinzas que foram pintadas para não serem encontradas
Cinzas que voam e voam
Até serem achadas!

E agora?
A luz que era tão linda no início
A matou! E agora?

Engano senhora do tempo, engano!
Sempre acreditamos que a luz é linda
Mas a luz queima a luz cega, a luz mata!

Asas rasgadas queimam com o tempo
Mariposa cansada cessa o vôo,
Para a senhora do tempo passar
E suas cinzas pintar onde há luz sem mais queimar
Luz cega, mata, queima, queima e sem mais queimar. . .

#Diogo França#


2 comentários:

substitute4love disse...

Como sempre maravilhoso...
Viagem? Ah... Viagem... eu fiz uma terça, fui até Plutão!!!!
So high...
Beijo!

Flavinha Roberta disse...

Diogo..
Vc escreve lindamente, suavemente e profundo, profundo, profundo...
Bju